quinta-feira, 17 de novembro de 2016


Ivan Lira de Carvalho 
Em importante postagem, o historiador e Cel-PM Angelo Mario DE Azevedo Dantas, meu confrade no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, apoiado em cartão postal do acervo do pesquisador André Madureira, relembra que o imóvel sito à esquina da Rua Frei Miguelinho com a Esplanada Silva Jardim, na Ribeira, foi erguido para sediar o Comando da Polícia Militar do RN, em 1896. Acostou foto da sua autoria, datada de 2007. Agora aqui publico imagem mais recente do prédio, servindo de painel de arte de rua, mas conservando a placa de mármore fixada em 1906, registrando que ali nasceu, a 17.09.1768, Miguel Joaquim de Almeida e Castro, herói por atos de bravura libertária do Brasil, por participar ativamente da Revolução de 1817, ano em que foi preso, condenado e morto, a 12 de julho. Só não foi absolvido porque reconheceu como sua a assinatura posta nos documentos da Revolução Pernambucana. Com isso recusou-se a delatar os companheiros de ideal. Àquela época já existia a tal da "delação premiada". Em História é tratado como Frei Miguelinho ou Padre Miguelinho. Foi os dois. Primeiro frade carmelita e depois padre, aos trinta e dois anos. / É reverenciado dando o nome a uma cidade em Pernambuco e a diversas ruas e praças país afora, além de patronear um colégio estadual no bairro do Alecrim, em Natal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário