domingo, 28 de agosto de 2016

NÃO CUSTA NADA FAZER POESIA!

  

E AGORA ?
 
E agora, coleguinha?
Tu que cantou tanta marra
           Dizendo que era o tal                                               
           Fez uso do meu quintal
Deslumbrou-se e foi pra farra
 
Cadê a festa do povo?
Onde está a esperança?
Como ficam as lembranças?
Pra onde foi nosso sonho?
O que dizer pras crianças?
 
Eu quero a minha camisa
A bandeira,
Nossa voz,
Falar de amores possíveis
E desatar esses nós!
 
E vencendo essa tristeza
Que se apossou de nós
Buscar o amor perfeito,
Rosas vermelhas, jasmins
           Plantados dentro do peito!                       
 
                             Francisco Alves C. Sobrinho (Chico Alves)

Nenhum comentário:

Postar um comentário