domingo, 21 de agosto de 2016

41




MARRECO MANDARIM (CHINES)
  

Uma  das  coisas  mais belas  na  fauna aquática da América do Norte, é o exemplar macho do Marreco Mandarim, nativo do território Chines.

Sua coloração tem, aproximadamente onze cores distintas e distribuídas por todo seu corpo.

Sua fêmea é, todavia, de cor bem esmaecida e, até, pode ser confundida com outras espécimes de palmípedes, como as fêmeas mais claras do marreco de Rouen, distinguindo-se  pelo  tamanho  das outras variedades que  são metade do porte daquela. Uma de suas características é o “dimorfismo”, isto é, macho e fêmea têm cores distintas.

O contingente populacional desse marreco é muito reduzido e, hoje, é mais encontrado em cativeiro, cuidadosamente cultivado, principalmente na China, aonde foi instalado um projeto de preservação da espécie.

Vamos tentar descrevê-lo, como ele se apresenta aos nossos olhos! Seu bico, constituído de marfim alaranjado é proporcional ao seu tamanho, harmonioso, delicado.

Sua cabeça é multe colorida e tem a seguinte distribuição:
Limitando-se com seu bico, existe uma plumagem marrom
claro que contorna seus olhos pela parte inferior  da cabeça. 

No contorno superior, vê-se uma plumagem branca, coroada com uma plumagem “Bordeaux”, que se alonga   até  a  curvatura  do  pescoço, conforme se vê na imagem  acima.

Apoiando a plumagem branca  da  cabeça, tem-se uma plumagem verde intensa, brilhante, terminando com o alongamento das plumas da cabeça.

Na parte marrom que contorna os olhos, desce uma espécie de “babado”, que  vai  aos poucos, formando  artisticamente uma  capa de penas individualizadas, numa belíssima ornamentação para o pescoço da ave!

Nos limites desse “babado” e por debaixo dele, e contornando o pescoço, há uma espécie de apoio ou peitoral, onde repousa o pescoço da ave.

Após esse peitoral fronteiriço tem-se o desenho de duas penas brancas, formando duas correntes de separações das cores, para, em seguida descer com uma cobertura de plumas de um marrom claro, luminoso, com aparência de impermeabilidade, onde  repousam, harmonicamente,    as  duas asas, parecendo, em sua confluência, como se existissem  duas mãos postas, em  oração.

Essa é uma das mais belas aves da fauna palmípede do mundo. O Marreco Mandarim é uma  das aves mais belas entre os marrecos conhecidos no mundo.
                                                              
por Jansen Leiros:

Da Academia Macaibense de Letras;
Da Academia de Letras Municipais do Brasil;
Da Academia Anapolina de Filosofia, Ciências e Letras;
Da Academia Interamericana de Literatura e Jurisprudência;
Do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte;
Da União Brasileira de Escritores;
É Comendador da Soberana Ordem do Mérito Apostólico de Santiago de Jerusalén;
Da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra;
                                                Do Instituto de Genealogia do RN;
                                              Da Ordem dos Advogados do Brasil;
                                           Do Instituto dos Advogados do Brasil;
               Da: “The International Academy of Letters of England;”
Do Instituto dos Advogados do Brasil;
Da Ordem dos Advogados do Brasil;
Da Ordem dos Músicos do Brasil;

Da Academia de Trovas do Rio Grande do Norte; 

Nenhum comentário:

Postar um comentário