segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016


A GRANDE DESPEDIDA
Por Eduardo Gosson
 
A Cidade do Natal sabe da amizade entre o Escritor Jurandyr Navarro e o Desembargador José Gosson: ambos foram grandes desportistas. Jogavam volibol. José apesar de ter mais que um metro e sessenta,  era um grande levantador, sendo considerado o melhor do Nordeste. A cidade cresceu, a vida se tornou perigosa.
Ao   se aposentar em dezembro de 1999, após 44 anos de Serviço Público, o Desembargador  foi morar em Monte Belo próximo ao MAKRO. Acertar a casa do Des.  JOSÉ GOSSON sozinho era muito difícil; então JURADYR NAVARRO pediu-me para levá-lo. Ao chegarmos lá JURANDYR NAVARRO perguntou:
- JURANDYR NAVARRO: “ quem sou eu?”
- JOSÈ GOSSON: “JURANDYR NAVARRO”.
 De pronto o desembargador lembrou-se. Conversaram apenas amenidades até porque o Des. estava enfermo. Havia amputado uma perna em virtude da  diabete. Nos despedimos. Ao chegarmos no carro o Confrade JURANDYR NAVARRO chorou como uma criança. Acredito que ali afogou-se em lembranças de uma Natal lírica que não existe mais; até porque o Tempo não pára e diz o poeta FERNANDO PESSOA “que não se volta duas vezes ao mês lugar”.
Agora digo eu: “Viver é despedir-se”.  Eu não sabia que doía tanto!
 
(*) Poeta, preside a UNIÂO BRASILEIRA DE ESCRITORES-UBE/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário