quarta-feira, 20 de outubro de 2021

A PRIMAZIA DA INSENSATEZ Tomislav R. Femenick – Mestre em economia, com extensão em sociologia e história Alguns psicólogos, neurocientistas e outros estudiosos da mente e do comportamento humano admitem que a cosmovisão e a maneira de agir dos indivíduos têm origens em três fatores: a) a genética, isto é, o conjunto de qualidades transmitidas dos pais aos seus descendentes; b) o meio ambiente em que eles vivem, considerando, também, o lugar e a época; e c) a autodeterminação, ou seja, o dom de decidir por si mesmo, fazendo livre escolha para sua forma de pensar e agir perante fatos e ideias. Os pensadores divergem entre si sobre qual determinante é mais preponderante. Entretanto, é aceito que esses elementos – a genética, o meio ambiente e a autodeterminação – são a base da inteligência (do latim “intelligens, entis”, que compreende, que conhece), a capacidade que as pessoas têm para formulações lógicas, para a abstração e, principalmente, para a compreensão das narrativas e dos fatos. Recentemente, a revista Veja publicou uma matéria sobre o assunto, em que constata um fato constrangedor. Depois de décadas em que a inteligência humana (medida pelo QI) evidenciava um crescimento constante, desde o início deste século o quadro se inverteu. Se antes os filhos se mostravam mais argutos que seus pais, hoje eles são menos interessados e mesmo alheados sobre assuntos do mundo em sua volta. Por outro lado, o jornalista Spike Dolomite, do site norte-americano “Medium Daily Digest” (spikedolomite.medium.com) publicou uma matéria intitulada “O Desfile dos Idiotas” (tradução livre) na qual ele cita alguns exemplos: embora o Texas tenha ultrapassado quatro milhões de casos de covid, aquele Estado e mais vinte e três outros estão planejando processar Presidente Biden pela obrigatoriedade das vacinas. Isso só vem a comprovar que, desde a eleição de Trump, houve uma regressão cognitiva lá “pras bandas dos states”. Diz ele: “Nunca seremos capazes de superar a Covid, a menos que esses estados admitam que estão errados e mudem seus caminhos. Latinos e negros americanos estavam relutantes em tomar a vacina, por razões culturais, mas, desde a obrigatoriedade, ambos os grupos alcançaram o grupo caucasiano em números. O único grupo indiferente são os republicanos. O número de republicanos que foram vacinados é de pouco mais de 50%. Os democratas são mais de 90%. Os democratas usam máscaras e são vacinados para proteger a si mesmos e aos outros de um vírus mortal. Os republicanos se recusam erroneamente e deliberadamente a usar máscaras e a se vacinar porque querem que o mundo inteiro saiba que eles não estão evoluídos e não dão a mínima para outras pessoas”. Como lá, aqui por estas plagas abaixo da linha do Equador, onde nada é pecado, temos um presidente negacionista, ministros se vacinando escondido (para não contrariarem de Sua Excelência), a primeira-dama recebendo a vacina em Nova York, e mais de seiscentos mil óbitos atribuídos à covid 19. No entanto, o senhor presidente continua achando que quem toma vacina pode virar jacaré. Isso tudo enquanto o Conselho Federal de Medicina e alguns planos de saúde se apegam à autonomia médica, para justificar receituários fora da ciência, tão somente por convicção política ou por obstinação pessoal. E tome entrevistas em rádios e TV’s, aparições de vídeos nas redes sociais, tudo em busca de se transformarem em celebridades; se possível recebendo uns trocados, miúdos ou graúdos. Realmente este é um país da consagração das idiotices. Será que esse é o Brasil em que eu nasci? Basta ver as notícias do cotidiano escalafobético. Dois esteios do liberalismo econômico pátrio, ocupantes de altos cargos da administração federal foram pegos “em arapuca de pegar gambá”. O Ministro da Fazenda e o presidente do Banco Central, responsáveis por dar credibilidade à política econômica do governo, têm dinheiro aplicado em paraísos fiscais. É legal? É. É moral ou pelo menos recomendável que assim ajam? Não. Como esperado, o Congresso fez alarde, convocou os maljeitosos agentes públicos, etc. e tal. E nós? Nós vamos esperar os próximos capítulos dessa horrenda novela mexicana. Tribuna do Norte. Natal, 20 out. 2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário